quinta-feira , 29 fevereiro 2024
Lar Cidade Captura de atum é retomada, e pescado será comercializado em fevereiro
Cidade

Captura de atum é retomada, e pescado será comercializado em fevereiro

Após a paralisação na pesca de atum por um período de duas semanas no fim de 2023, as embarcações voltaram ao mar no início de janeiro e a comercialização do que for pescado deve ocorrer somente em fevereiro, conforme o presidente do Sindicato da Indústria de Pesca do Rio Grande do Norte (Sindipesca-RN), Gabriel Calzavara.

Em entrevista ao AGORA RN, ele informou que as embarcações devem voltar à terra no fim de janeiro. “Os barcos pararam, ficaram em terra e deram férias aos funcionários. O prejuízo é grande, porque agora só vão comercializar em fevereiro”, contou.

O governo federal suspendeu a pesca do atum do dia 16 ao dia 31 de dezembro do ano passado. A espécie que teve a captura suspensa foi a albacora-bandolim, abundante na costa brasileira, bastante usada para produção de pratos como sushi e sashimi e na indústria de conserva.

O Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) informou que a suspensão ocorreu devido à aproximação do limite de 5,4 mil toneladas pescadas. “A cota total anual da espécie já está próxima ao limite de 5.441 toneladas e qualquer valor adicional, de qualquer modalidade, já representa elevadíssimo risco de que o Brasil ultrapasse, pelo 4º ano consecutivo, seu limite de captura. Tal situação trará consequências negativas imprevisíveis no contexto internacional e nacional”, informou o MPA, em dezembro, por meio de comunicado.

De acordo com o governo federal, a suspensão ocorreu quando o Brasil atingiu um “gatilho” de 95% da cota estabelecida para o país. “A proibição da pesca afetou drasticamente a capitalização das empresas, porque perderam praticamente dois meses [dezembro e janeiro] de alto valor de mercado”, apontou Calzavara.

Vendas da Semana Santa não irão recuperar prejuízos, diz Calzavara

A Semana Santa, período religioso em que as pessoas tradicionalmente consomem mais peixe, é um dos melhores períodos de comercialização do produto. “Estamos apostando nisso para tentar recuperar tudo que perdemos em dezembro e janeiro”, frisou Calzavara, que não estipulou o prejuízo total do setor.

Ainda conforme o representante do Sindipesca-RN, a Semana Santa é um bom período de vendas, mas não vai recuperar prejuízos. “O ano todo não vamos conseguir [recuperar]. A gente vai se estruturar para ver como será esse ano, porque deve haver uma parada para não atingir a cota. Tem que escolher o mês que terá essa parada, estamos nos organizando para não ser no fim de ano. Deverá ser julho ou agosto, isso está sendo avaliado, para que a produção não passe do limite estabelecido”.

Agora RN

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Recentes

Categorias

Artigos relacionados

Polícia Civil deflagra Operação Decreto II em Caicó; cinco pessoas são presas

Policiais civis da Delegacia Especializada em Furtos e Roubos (DEFUR/Caicó) deflagraram, nesta...

Turista morre afogado na Praia de Ponta Negra em Natal

Um turista de 69 anos morreu afogado na praia de Ponta Negra,...

Natal apresenta pontos de alagamentos devido às fortes chuvas

Devido às fortes chuvas que ocorrem nesta terça-feira (27), a capital potiguar...

Previsão aponta chuvas até domingo no RN

O Sistema de Monitoramento da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande...