TERREMOTO – Mais de mil mortos em terremoto no Afeganistão

 TERREMOTO – Mais de mil mortos em terremoto no Afeganistão

Tremor intenso de grau 6,1 deixou ao menos mil mortos e 1.500 feridos

Os tremores começaram na madrugada de hoje, 22 de junho, enquanto as pessoas dormiam, pouco depois da 1h30 no Afeganistão. Centenas de casas ficaram destruídas pelo terremoto de magnitude 6,1 que atingiu 51 km do país, segundo o site de notícias BBC.  


Foi o terremoto com mais mortes das últimas duas décadas no país e o maior desafio desde que o Talibã  tomou o governo no ano passado. Os extremistas islâmicos tomaram o Afeganistão durante a instabilidade política causada pela retirada dos exércitos do Ocidente. 


Os tremores também foram sentidos no Paquistão e na Índia (países vizinhos), mas eles ainda não notificaram mortes ou feridos. Oficiais do Talibã pediram ajuda à ONU para “socorrer as necessidades básicas dos que foram afetados”. Mohammad Nassim, chefe de gerenciamento de desastres naturais do governo talibã, disse que a maioria das mortes ocorreu na província de Paktika, onde 100 pessoas morreram e 250 ficaram feridas. 


“Encontrei 40 mortos no caminho”
 


Fátima, uma das vítimas disse: “As crianças e eu gritamos. O quarto estava destruído e conseguíamos ver o interior da casa dos vizinhos e o medo deles”. Faisal, outra vítima, relatou que “muitas casas da vizinhança foram destruídas. Quando chegamos ali havia muitos mortos e feridos. Eles nos mandaram para o hospital. Lá tinha muitos outros mortos”.


“Por qualquer rua que você passasse poderia ouvir o lamento por causa da morte dos entes queridos. Não há uma equipe oficial de resgate, mas as pessoas das cidades vizinhas e vilarejos se juntaram para resgatar as pessoas. Eu cheguei na cidade esta manhã e andando poucos quilômetros encontrei 40 mortos. A maioria dos mortos eram muito jovens. O hospital local não consegue atender todos que chegam”, contou um jornalista em Paktika. 


Antes do terremoto, o país já não conseguia atender as necessidades básicas da população. O incidente agravou a situação do Afeganistão, que ocupa o primeiro lugar na Lista Mundial da Perseguição de 2022, sendo o país mais hostil aos cristãos. 

+ Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *