segunda-feira , 15 julho 2024
Lar Internacional FAB acompanha lançamento e possível reentrada de motor do foguete Angara-5
Internacional

FAB acompanha lançamento e possível reentrada de motor do foguete Angara-5

A Força Aérea Brasileira (FAB), por meio do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), acompanhou o lançamento do foguete russo Angara-5 e a possível reentrada do seu terceiro estágio no espaço aéreo brasileiro. A jornada ocorreu entre os dias 05 e 11/04.

No dia 05/04, o COMAE recebeu um comunicado do Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER) informando sobre a possível reentrada do motor de propulsão do foguete Angara-5 no Oceano Atlântico, em uma região sob jurisdição brasileira e sul-africana. Na oportunidade, foi emitido um Aviso aos Aeronavegantes (NOTAM) referente ao evento.

Esse procedimento é comum em lançamentos e visa garantir a segurança das aeronaves, evitando que sobrevoem áreas onde objetos espaciais podem reentrar na atmosfera. Apesar do aumento do número de satélites em órbita e, consequentemente, de objetos reentrando na atmosfera, a maioria desses objetos se desintegra em altitudes elevadas, sem atingir o solo. Para os poucos que chegam ao solo, várias entidades monitoram e identificam as possíveis áreas de impacto, emitindo alertas para a segurança da população.

Com base nas informações recebidas, a Seção de Consciência Situacional Espacial do Centro de Operações Espaciais do COMAE acompanhou todo o processo de lançamento, aumentando a capacidade operacional e implementando procedimentos para situações futuras de reentrada de objetos espaciais.

Segundo o Chefe do Centro de Operações Espaciais (COMAE), Brigadeiro Éric Cézanne Cólen Guedes, a oportunidade demonstra mais uma vez a capacidade da Força Aérea Brasileira no que se refere à Consciência Situacional do Domínio Espacial. “O monitoramento de eventos espaciais e as análises realizadas no COPE evidenciam o trabalho constante da FAB para garantir a segurança dos ativos espaciais brasileiros”, destacou.

A necessidade de eliminar estágios, como motores durante a colocação de satélites em órbita, está relacionada à eficiência e à segurança das operações espaciais. Cada estágio adicionado a um foguete representa peso extra que precisa ser impulsionado, o que demanda mais combustível. Ao eliminar estágios conforme o foguete sobe, ele se torna mais leve e mais eficiente, alcançando altitudes maiores com menos esforço. Isso é crucial para colocar satélites em órbitas específicas de forma precisa e econômica, garantindo que eles atinjam a velocidade e a altitude corretas para sua missão.

O Capitão Engenheiro Felipe de Silvério Arantes, militar do COPE, em coordenação com militares da Joint Commercial Operation (JCO), unidade da Força Espacial Americana, responsável por monitorar atividades espaciais, liderou o evento de lançamento do foguete, analisando e emitindo atualizações sobre o lançamento.

O foguete Angara-5 foi lançado a partir do Cosmódromo de Vostochny, no Extremo Oriente da Rússia, no dia 11/04, com o motor de propulsão caindo no Oceano Atlântico sem representar ameaças às operações aéreas ou marítimas na região.

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Recentes

Categorias

Artigos relacionados

STJ vê conduta desleal no uso de links patrocinados do Google

A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve a decisão...

Asteroide do Juízo Final: O evento celestial da década

Um evento celestial raro está prestes a ocorrer nesta semana, capturando a...

Milei evita Lula e deve vir ao Brasil pela 1ª vez para encontro com Bolsonaro

O presidente da Argentina, Javier Milei, deverá vir ao Brasil no próximo...

Avião faz pouso de emergência no Aeroporto de São Gonçalo do Amarante

Um avião da companhia aérea Air Europa realizou, durante a madrugada desta...