quarta-feira , 21 fevereiro 2024
Lar Internacional Bill Gates diz que o SUS é um modelo a ser seguido
Internacional

Bill Gates diz que o SUS é um modelo a ser seguido

Bilionário fundador da Microsoft publicou texto na semana passada no qual elogia o sistema de saúde pública do Brasil e chegou a afirmar que o restante do mundo poderia aprender com o País. “Em cerca de três décadas, o Brasil reduziu a mortalidade materna em quase 60%, reduziu a mortalidade infantil de menores de cinco anos em 75% – ultrapassando em muito as tendências globais – e aumentou a esperança de vida em quase uma década. Nenhuma dessas conquistas foi acidental. Em vez disso, são o resultado de investimentos de longo prazo que o Brasil fez no seu sistema de saúde primário, com os quais outros países podem aprender e imitar”, escreveu no artigo “Lições de salvamento de vidas do Brasil”.

No texto, Bill Gates ressalta que é “um grande fã do Brasil há algum tempo” e relembra a primeira vez que esteve no País, em 1995. “Algumas das minhas viagens favoritas em família foram à Amazônia, cujo rio, bacia e floresta tropical surgem frequentemente durante conversas sobre alterações climáticas. Mas, só quando comecei a trabalhar na saúde pública, é que comecei a apreciar o quão impressionante é o histórico do País nesta área – e o quanto o resto do mundo poderia aprender com ele.”

O criador do Windows destaca o Sistema Único de Saúde (SUS), criado pela Constituição de 1988 e que garante o acesso integral, universal e gratuito para toda a população do País. “Na década que se seguiu, as mortes por doenças não transmissíveis e por causas maternas, neonatais e nutricionais começaram a diminuir e a esperança de vida aumentou. Com o aumento dos serviços de saúde primários, até as hospitalizações caíram.”

Os elogios de Bill Gates se estendem principalmente ao programa de agentes comunitários de saúde, que são profissionais que atuam especialmente em áreas remotas. O empresário lembra que mais de 286 mil agentes atendem quase dois terços da população – 160 milhões, oferecendo orientações sobre saúde e higiene, defendendo cuidados preventivos e acompanhando consultas médicas. “Atuam como porta de entrada para o maior sistema de saúde público gratuito e universal do mundo, e seu impacto tem sido transformador. Eles são creditados por reduzirem ainda mais a mortalidade infantil e por levarem a cobertura vacinal a níveis quase universais.”

Sem se esquecer das crises financeiras que levaram a cortes nas despesas com saúde, o bilionário destaca que “o sistema de saúde do Brasil não precisa ser perfeito para servir como prova do que acontece quando um país investe estrategicamente no cuidado dos mais vulneráveis: os retornos são muitas vezes de longo alcance e mudam vidas”.

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Recentes

Categorias

Artigos relacionados

Lula vê Israel escalando crise e decide não se desculpar por fala

O presidente Lula decidiu que não fará, pelo menos por ora, qualquer novo discurso...

O “Lobo Polar” da Sibéria. A prisão onde morreu Navalny

“Lobo Polar”. É assim que é conhecida a prisão na Sibéria onde...

Juiz ordena que Trump e suas empresas paguem R$ 1,7 bilhão em caso de fraude civil

O juiz Arthur Engoron ordenou que o ex-presidente dos Estados Unidos Donald...