Lar Cidade Polícia prende suspeitos do assassinato de advogada
Cidade

Polícia prende suspeitos do assassinato de advogada

Uma operação da Polícia Civil do RN prendeu oito suspeitos de participação na morte da advogada Brenda Oliveira, de 26 anos, e do cliente dela, Janielson Nunes de Lima, 25 anos, vítimas de uma emboscada após saírem de uma delegacia com um cliente na cidade de Santo Antônio. Entre os presos, há a suspeita de que parte deles integrem um grupo de extermínio, inclusive um cabo da Polícia Militar suspeito de fornecer armas para o crime, que segundo a Polícia Civil, teria sido motivado por vingança.

Os detalhes da Operação “Jus Puniendi” foram detalhados durante coletiva nesta terça-feira (30) na Central de Flagrantes. De acordo com o diretor da DHPP, Márcio Lemos, O crime teria sido motivado por vingança. Isso porque, dois dias antes do crime, o cliente da advogada Brenda era suspeito de assassinar um vaqueiro. Os familiares desse vaqueiro se reuniram com outros desses profissionais, que atuavam em um grupo de extermínio em São José do Mipibu, e se articularam para cometer o homicídio. O policial preso forneceu armamento para essas pessoas. “Embora tenha sido um crime articulado no dia, foi fácil porque eles já tinham um grupo com experiência nisso”, afirmou. Para Lemos, o crime está praticamente elucidado. Entre os oito suspeitos presos durante a manhã estão também os autores intelectuais.

Nas semanas que antecederam as prisões, a Ordem dos Advogados cogitou solicitar a federalização do caso, o que moveria a jurisdição das investigações para a Polícia Federal. Ao falar sobre a velocidade das ações policiais para elucidar o crime, Lemos afirmou que o tempo entre o assassinato e as ações desta terça foi razoável, ao considerar o objetivo da operação. Tínhamos a pretensão de atacar o grupo que estava atuando ali. A gente entende, antes de mais nada, que o crime desafiou o Estado”, disse.

Em nota, a OAB-RN disse que “segue estarrecida com o crime brutal que tirou a vida da jovem advogada, mas hoje encontra amparo na justiça que começa a ser feita após a operação policial. A OAB/RN reconhece o trabalho das forças de segurança do Rio Grande do Norte para a elucidação do crime”.

“Até que haja uma sentença penal condenatória transitada em julgado, após o devido processo legal, a OAB não descansará e continuará lutando para que os culpados recebam as respectivas penas pelos crimes praticados”, disse.

O assassinato da advogada Brenda dos Santos Oliveira e do cliente Janielson Nunes de Lima, mais conhecido como “Gordinho da Batata”, está sob investigação desde janeiro. À época, a Polícia Civil desconfiava que havia a participação de pelo menos quatro pessoas.

No dia do crime, Janielson foi à delegacia prestar depoimento sobre o caso em que era investigado como suspeito do assassinato de João Victor Bento da Costa, de 18 anos, morto no dia 28 de janeiro, durante a vaquejada de Santo Antônio. No entanto, Janielson foi intimado a retornar à unidade para prestar novos esclarecimentos. No retorno, o suspeito foi interrogado com a presença da advogada. Ao fim das perguntas, Janielson foi liberado.

Como não havia nenhum mandado de prisão contra ele, nada que tivesse um motivo pelo qual ele pudesse ficar preso, tampouco estar em flagrante porque não havia indícios concretos de que ele seria o homicida, ele saiu acompanhado da advogada, liberado. Porém, ao sair, quando estava a cerca de 500 metros do local, quatro indivíduos interceptaram o veículo de Brenda, atacando tanto a advogada quanto Janielson, que morreram na hora.

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Recentes

Categorias

Artigos relacionados

Dificuldade para conseguir emprego não isenta réu de usar tornozeleira eletrônica

A 10ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) negou...

Polícia Civil prende mais um homem envolvido no homicídio de Soraia Satiro

Nesta sexta-feira (19), policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à...

Ação do MPRN cobra combate à poluição sonora em Extremoz

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) ingressou com uma Ação Civil...

São Gonçalo do Amarante: Gestão municipal é destaque em obras de infraestrutura

Em São Gonçalo do Amarante a gestão municipal não para de trabalhar,...