Lar Cidade Desembargador determina fim da greve da Polícia Civil no RN
Cidade

Desembargador determina fim da greve da Polícia Civil no RN

O desembargador Dilermando Mota determinou nesta quarta-feira (24) o fim da greve da Polícia Civil no Rio Grande do Norte. A decisão aponta para o restabelecimento integral dos serviços de polícia em todo o Estado do Rio Grande do Norte. O eventual descumprimento da decisão implicará na aplicação de multa diária no montante de R$ 5 mil ao Sindicato dos Policiais Civis do Rio Grande do Norte (SINPOL/RN)
Em sua análise, o magistrado destacou que, em virtude do caráter essencial das atividades paralisadas é “certo que o indeferimento de qualquer medida acautelatória, nesse momento, poderá gerar risco de prejuízos irreparáveis ou de difícil reparação à sociedade local, intimamente relacionados a valores de índole constitucional superior (segurança e ordem públicas)”.
A decisão destaca ainda o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) de que: “1 – O exercício do direito de greve, sob qualquer forma ou modalidade, é vedado aos policiais civis e a todos os servidores públicos que atuem diretamente na área de segurança pública. 2 – É obrigatória a participação do Poder Público em mediação instaurada pelos órgãos classistas das carreiras de segurança pública, nos termos do art. 165 do CPC, para vocalização dos interesses da categoria”.
Paralisação
No dia 9 de abril, os servidores da Polícia Civil e da Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) sinalizaram uma paralisação por tempo indeterminado visando negociação de valorização salarial. No dia 15 deste mês, os servidores da Polícia Civil decidiram suspender as diárias operacionais e cogitaram iniciar greve caso as reivindicações da categoria não fossem atendidas.
Na terça-feira (23), os policiais civis iniciaram uma paralisação das atividades em todo o estado. A decisão foi tomada pela categoria em assembleia na noite de segunda (22), após uma nova rodada de negociação com o governo do RN, que terminou sem acordo.
O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) ajuizou, na terça-feira (23), ação civil ordinária pedindo o encerramento imediato da greve dos servidores da Polícia Civil e da Sesed, o restabelecimento urgente dos serviços de polícia judiciária de forma integral em todo o Estado, inclusive com imposição de multa diária ao Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança do Estado (Sinpol). A ação foi protocolada junto ao Tribunal de Justiça.

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Recentes

Categorias

Artigos relacionados

Cerca de 70 filhotes de tartaruga são soltos na praia de Maracajaú

Cerca de 70 filhotes de tartaruga foram soltos na praia de Maracajaú,...

Eraldo Paiva avança em pré-candidatura à prefeitura de São Gonçalo

O pré-candidato à prefeitura de São Gonçalo do Amarante, Eraldo Paiva (PT),...

Prefeito Eraldo Paiva participa de encontro em Serrinha para construção do plano de governo

No último dia  (11), a comunidade de Serrinha, em São Gonçalo do...

Obras da avenida Xavantes e na lagoa de captação de Cidade Satélite começam na próxima segunda

A Prefeitura de Natal vai iniciar as obras de drenagem, pavimentação, construção...